sábado, 23 de junho de 2018

A Cada Dia de David Levithan

Classificação: ⭐⭐⭐⭐⭐

Olá a todos! É com grande orgulho de mim mesma, que vos anuncio que consegui (finalmente) concluir um livro, já que nos últimos temos se tornou hábito começar as leituras e não passar do primeiro ou segundo capítulo… obrigada ressaca literária por teres permanecido tanto tempo ao meu lado… só que não!

Como já viram pelo título e já devem ter calculado, neste post vou falar-vos do livro “A Cada Dia” do fantástico e maravilhoso David Levithan (que eu nunca tinha lido nada dele, mas que já tinha ouvido maravilhas a respeito). Se estou curiosa para conhecer mais livros do autor? Sim, com certeza que sim, sem dúvida alguma. (inclusive, já tenho o livro que dá continuação a este!)

 

Para quem não conhece de que se trata este livro, é a história de um “ser”, de certa forma uma “alma” que todos os dias acorda no corpo de alguém. Nunca duas vezes no mesmo corpo e sempre num corpo de alguém da mesma idade que “ele”. Vive a vida do corpo com a maior naturalidade possível e sem fugir à rotina do corpo, de modo a que passe desapercebido e não levante nenhumas suspeitas por parte de quem o rodeia a cada dia.

Auto nomeia-se de “A” e não é nem rapaz, nem rapariga, alterando aleatoriamente entre os dois, e com apenas 16 anos já viveu milhares de vidas numa só. Viu de perto várias realidades completamente distintas, desde a pobreza à riqueza, desde gordo a magro, de católico a ateu, de certinho a desorganizado. Já foi heterossexual, bissexual, gay, lésbica, transgénico. A cada dia, um dia novo e diferente, a cada dia num corpo novo e diferente.

A vida corre-lhe normal, dentro da normalidade possível… quando acorda um dia no corpo de Justin e conhece Rhiannon, a namorada do Justin. Tudo muda naquele dia e a partir de então “A” não a consegue mais esquecer, nem se manter afastado dela como deveria, seguindo o curso normal da vida das pessoas em que habita… Mas tendo em conta que “A” tem a vida que tem e tendo a Rhiannon namorado, haverá espaço para crescer algo entre eles? Será possível estar com alguém que muda de corpo todos os dias?

 

Peguei espontaneamente no livro (que estava à séculos na estante, no caso, desde 2015) pouco antes de sair de casa num dia, apenas porque o trailer do filme me apareceu no anúncio de um vídeo no Youtube. Precisa de uma leitura para aquela tarde e simplesmente peguei no livro e comecei a ler. Li apenas umas trinta páginas naquela tarde, mas foi o suficiente para me fazer pensar em ler e querer de facto ler, sempre que tinha um espacinho de tempo livro (e até mesmo quando não tinha…).

O facto de cada capítulo ser um dia diferente, uma vida diferente, fazia com que eu quisesse sempre ler mais para descobrir em que corpo é que “A” iria acordar no dia seguinte. O que fez com que a leitura fluísse muito melhor do que o que tem sido normal para mim nos últimos tempos.

Desde sempre que achei a ideia do escritor super original, só não fazia sequer ideia da quantidade de temáticas pelas quais o livro passava. Apenas para citar algumas, o livro fala de problemas com a droga, alcoolismo, gordofobia, bullying (visto do ângulo de quem pratica), depressão e tantas outras, não esquecendo aquelas que eu referi no quarto parágrafo deste texto. Foi uma ótima ideia do autor, criar todo este universo, tendo em atenção que é praticamente impossível criar um enredo coerente que fosse abordar todos estes tópicos e temáticas que aborda.

O livro está muito bem escrito, numa linguagem jovem e acessível a qualquer pessoa, com capítulos de um tamanho razoável, uma narrativa cativante e muito fluída.

Estou muito curiosa com a adaptação cinematográfica e espero conseguir vê-la em breve. Também estou curiosa com o enredo do segundo livro, uma vez que no final deste primeiro aconteceu algo que me fez prever o início do segundo volume… espero estar enganada e que este escritor me consiga surpreender ainda mais!

Já alguém leu o livro ou viu o filme? Se sim, o que acharam?

 

Beijinhos e boas leituras!

Lia

Sem comentários:

Enviar um comentário