domingo, 13 de agosto de 2017

A Ilha das Quatro Estações de Marta Coelho

Classificação: ⭐⭐⭐

Quem acompanha o blog viu que o último post que saiu foi sobre a editora “Clube do Autor” e sobre os livros que eles me enviaram (quem não sabe do que eu estou a falar, está aqui o link do post para perceberem melhor ao que me estou a referir: http://euliaeleio.blogspot.pt/2017/08/livros-recebidos-da-editora-clube-do.html) E hoje trago-vos a minha opinião sobre um desses livros: A Ilha das Quatro Estações.

O livro conta a história de quatro jovens: a Cat, o Santi (ou Tiago), o Misha e a Rute. Todos eles estão em sofrimento por alguma coisa do passado quando chegam à Ilha das Quatro Estações, onde irão passar quatro meses das suas férias de verão. Esta Ilha encontra-se dividida em quatro partes e em cada uma delas vive-se uma estação do ano. Estes jovens e o resto do grupo de inscritos irão passar um mês em cada uma das partes da ilha. (Ficou confusa a explicação?)

Esta ilha serve como uma terapia. Longe do resto das pessoas e das tecnologias, estes jovens dispõe de tempo para se encontrarem a si mesmos, para recuperarem autonomamente, mas também para fazerem boas amizades, o que contribuirá para a recuperação de cada um.

O livro é narrado em primeira pessoa, pelos pontos de vista da Cat e do Santi e adoro quando os autores fazem isso, porque nos dá um segundo ponto de vista dos acontecimentos, não deixando de parte a narração em primeira pessoa.

Pela linguagem clara (tanto da parte narrada como dos diálogos), fluida e extremamente rápida de ler é um livro juvenil, porém fala de alguns temas que são tipicamente abordados no género YA (temas esses que são spoiler se disser quais são). Os capítulos são curtos, o que é maravilhoso e só ajuda na fluidez da narrativa.

Este livro fala-nos de culpa, de saber perdoar, de nunca desistir de ser feliz e de lutar para conseguir aquilo que se quer. Ao longo do livro vemos várias lições de vida e cada uma delas acaba por marcar também um pouco a nossa vida.

Existem partes cómicas, piadas internas e muita cumplicidade e ajuda entre os personagens. Notei que a autora estava sempre a criar conteúdo para que a estadia dos jovens na ilha não se tornasse demasiado monótona para o leitor e, uma vez que eles não tinham telemóveis, tablets e computadores, não tinham grandes fontes de informações do exterior, pelo que deve ter sido mais difícil.

Achei apenas que existiram algumas partes um pouco insuscetíveis de acontecerem realmente, e que acabaram por soar a algo forçado. Talvez por ser um livro juvenil, eu achei que algumas partes foram óbvias demais para um leitor um pouco mais atento aos detalhes, como costuma ser o meu caso, mas considero que são pistas que poderiam muito bem passar despercebidas a um leitor mais novo.

Em suma, gostei da leitura e recomendo-a a jovens que gostem de livros com alguma aventura, romance, mas que também aborde temas mais sérios e reflexivos.

Beijinhos e boas leituras!

Lia
 
 
Uma leitura realizada com o apoio:

terça-feira, 8 de agosto de 2017

Livros Recebidos da Editora Clube do Autor

A editora Clube do Autor (http://www.clubedoautor.pt/) entrou em contacto comigo para me enviar alguns livros de cortesia e acabei conhecendo um pouco mais sobre esta editora que mal conhecia. Decidi fazer este post para compartilhar convosco algumas coisas que descobri e os lançamentos de livros que a editora está a “apostar” e que me enviaram um exemplar. Agradeço desde já à editora pela simpatia para comigo e pelo envio dos livros. (Muito obrigada!)

Esta editora é relativamente recente neste mundo literário, uma vez que existe apenas desde 2010. Procura publicar sempre “livros de qualidade” e que sejam um “convite à leitura”, dito nas palavras da sua pequena equipa. No catálogo da editora existem livros quer de ficção, quer de não ficção e existem para todas as faixas etárias.

Passados já sete anos, o Clube do Autor conta com centenas de livros já publicados e esta editora já é considerada uma editora de referência em áreas como “divulgação histórica”, “ciências humanas e sociais” e “romances”.

domingo, 30 de julho de 2017

Tag: Um Amor de Verão

Como está a correr o vosso verão? Espero que bem!

Hoje decidi trazer-vos uma tag de verão que encontrei no canal "creepysantos". Esta tag foi criada pelo "BooksandBullshit" e traduzida pelo "Arquipélago Literário".
E sem mais demoras, vamos  lá à tag!

1.       Início do verão: Um livro prendeu a tua atenção na primeira frase.

 
O livro “diz-lhe que não” de Helena Magalhães tem um pequeno excerto da crónica que vem a seguir e ao ler o primeiro excerto, fiquei totalmente presa ao livro e com a sensação de “Oh! Isto vai ser muito bom!”. Para não vos deixar a morrer de curiosidade para saber este excerto, vou coloca-lo a seguir, só não me responsabilizo, caso queiram sair a correr para ir comprar o livro!

(“Somos uma geração que vive de relação em relação mas, na verdade, não tem nenhuma com significado. Somos uma geração que não se consegue comprometer porque passamos a vida à procura de outra pessoa melhor.” Página 12)
(Talvez um pouco filosófico até, mas gosto bastante!)
 
(Já fiz um post com a minha opinião sobre este livro, aqui no blog: https://euliaeleio.blogspot.pt/2017/05/diz-lhe-que-nao-de-helena-magalhaes.html)

 
2.       Um livro para ler num dia muito quente para sair de casa.

 
Uma BD ou uma Grafic Novel são perfeitas ler num dia muito quente para sair de casa, porque são leituras normalmente mais rápidas e leves, o que calha mesmo bem nestes dias. Como sugestão, recomendo uma grafic novel que li recentemente que é “Crepúsculo – A novela gráfica, volume 1” de Stephenie Meyer com arte e adaptação de Young Kim

 
3.       Viagem de verão: Um livro que levarias contigo numa viagem.

 
Levava comigo o livro "Papá das Pernas Altas” de Jean Webster, uma das minhas leituras recentes, e espero fazer um post sobre ele em breve! Mas posso adiantar que é um livro perfeito para levar numa viagem porque é pequeno (ou seja, ocupa pouco espaço), com uma narrativa muito fluida e muito divertido, simplesmente fantástico para passar uns bons momentos!

 
4.       Um chá gelado cairia bem: Um livro com um ambiente frio.

 
Quando penso num livro com um ambiente frio, penso em “Miúda Online” de Zoella Sugg. Acho que já referi este livro algumas vezes em tags, mas adequa-se perfeitamente nesta categoria.

 
5.       Queimadura solar (desagradável): Um livro que realmente não gostaste (até agora) este ano.

 
É difícil que eu leia um livro e que no final classifique com uma estrela, mas até agora o livro com a classificação mais baixa deste ano foi “Memorial do Convento” de José Saramago.
 
(Se quiserem saber a minha opinião mais detalhadamente, o link da minha opinião é este  https://euliaeleio.blogspot.pt/2017/04/memorial-do-convento-de-jose-saramago.html)

 
6.       Leitura escaldante: Recomenda um dos teus livros favoritos.

 
Vou recomendar um dos meus livros favoritos mais recentes que é “A química dos nossos corações” de Krystal Sutherland. É um livro espetacular e fiz um post recentemente falando dele. (O link do post é o seguinte: https://euliaeleio.blogspot.pt/2017/07/a-quimica-dos-nossos-coracoes-de.html)
 
 
Espero que tenham gostado, e quem quiser fazer, fique à vontade!

 
Beijinhos e boas leituras!

 
Lia

quinta-feira, 20 de julho de 2017

Leite e Mel de Rupi Kaur

Classificação: ⭐⭐⭐

Leite e Mel é um livro escrito por Rupi Kaur, composto por vários poemas que se encontram divididos em quatro partes: “a dor”, “o amor”, “a separação” e “a cura”. (Acho que estas quatro partes funcionam como que um ciclo, que se repete várias vezes ao longo da vida.)

Confesso que ler poesia é algo que não estou acostumada e só o faço quando preciso de ler por causa da escola. Mas a sinopse deste livro, estas quatro partes que ele aborda, as ilustrações e toda a edição, que está completamente magnífica, fizeram-me querer lê-lo.

Ao nível da temática fala, para além de dor, de amor, de separação e de cura, fala sobre violação, sobre amor, sofrimento (e superação), feminismo, entre outros.

Para mim foi um bocado difícil ler alguns poemas, mais sobre a temática da violação, propriamente dita, porque a poesia de Rupi Kaur é crua e direta. Sem rodeios. E como não li muito sobre este tema, acabei por achar um pouco pesado em algumas partes.

A poesia da autora é mais descuidada com a métrica e com a organização dos versos em relação a outros poemas que já li para a escola, mas de certa forma, isso faz com que a leitura flui-a melhor para o leitor e, acredito que, a escrita flui-a melhor também para a escritora.

Em suma, este é um livro real, extremamente íntimo, sincero, que nos apresenta realidades obscuras como a violação (mas que precisam ser faladas e debatidas nos livros), e nos mostra que nós mulheres, passamos por mais coisas em comum do que aquilo que imaginamos, não me refiro à violação, mas a todas as relações amorosas que tem tantas semelhanças entre si.

Espero que tenham gostado desta minha opinião, talvez um pouco mais pequena do que o normal, mas deixo-vos agora um excerto do livro. É uma mensagem de positivismo e inspiradora que decidi partilhar convosco:

“aguenta firme na tua dor
deixa que dela nasçam flores
ajudaste-me
a que nascessem flores da minha dor
por isso
abre-te em beleza
sem medos
com garra
abre-te com suavidade
abre-te como precisares
mas deixa-te florir

- aos leitores”

(página 158)

Beijinhos e boas leituras!
 
Lia

sábado, 8 de julho de 2017

A química dos nossos corações de Krystal Sutherland

Classificação: ⭐⭐⭐⭐
 
A química dos nossos corações de Krystal Sutherland foi um livro que a princípio não me chamou a atenção, mas bastou parar e ler a sinopse dele para ter a certeza que o ia adorar!

O livro conta a história de Henry Page, um rapaz de 17 anos que nunca se apaixonou (é claro que teve aquela namorada na infância, mas era na idade em que os namoros consistiam em andar de mão dada), mas sempre sonhou em encontrar a sua alma gémea, tal como os seus pais se encontraram um ao outro.

Grace Town é a nova aluna na escola de Henry Page, veste-se com roupas masculinas e usa uma bengala para se apoiar enquanto caminha. Esta não é a rapariga dos sonhos de Henry Page, mas quando ambos são convocados para coordenadores do jornal da escola, eles acabam por se conhecer e a química dos seus corações é inevitável…

Porém, Grace Town esconde muitos segredos. Segredos esses que podem dificultar, e muito, esta possível futura relação. Será que juntos conseguem ultrapassar tudo e ter um final feliz, ou será que os corações partidos são algo com o qual eles vão aprender (e ensinar-nos) a lidar?

Uma coisa que adoro neste livro é o facto de não ser cliché, não se limita a ser (mais) um romance, é muito mais do que isso. Aliás, “Único” é um adjetivo perfeito para caracterizar este livro, porque tem um enredo único, personagens únicos, episódios únicos. Até podia dizer “quem gostou do livro X, vai gostar deste”, mas não consigo encontrar termo de comparação, porque é realmente diferente de tudo aquilo que já li. O livro parece-me bastante realista e com acontecimentos todos eles muito suscetíveis de suceder realmente.

Algumas personagens que vão sendo apresentadas ao longo da obra recebem uma descrição completa, desde a descrição física, a episódios que o narrador vivenciou com essa personagem, por exemplo.

A amizade entre Henry Page e os seus melhores amigos é uma amizade que se consegue sentir como verdadeira, com brincadeiras completamente parvas, conversas completamente parvas, mas que quando é preciso, os amigos estão presentes e querem o melhor uns para os outros.

Existem pelo menos dois personagens que me irritaram muito, em vários momentos distintos, mas é aquele amor/ódio que não consigo deixar de sentir pelos personagens. Fizeram e disseram coisas que eu fiquei “NÃO!!! NÃO FAÇAS ISSO!!!”, mas o facto de os personagens me irritarem nem é um ponto negativo no livro, porque compreendo o seu lado, sei que estão a tentar fazer o que pensam ser o melhor para eles e é assim que evoluem enquanto personagens.

Os capítulos são curtos, o que me agrada bastante, e de certa forma faz com que a leitura seja mais rápida e fluida, porque estava sempre a pensar “só mais um capítulo”. A história é narrada em primeira pessoa (pelo ponto de vista de Henry Page) o que é algo que adoro. Existem várias referências a filmes, livros (como Harry Potter, Crepúsculo, A Quinta dos Animais…), músicas, bandas, famosos, entre outros, que quando fazem parte do conhecimento do leitor, acabam por enriquecer bastante a história.

O romance acaba por ter muita importância neste livro, mas não é apenas o romance entre duas pessoas, vemos várias relações, umas que dão certo, outras que não dão, umas que já terminaram, outras que talvez venham a começar e vemos também a forma como cada pessoa lida como a sua relação, umas tentam fingir que está tudo bem quando não está, outras fazem um escândalo quando termina… Aprendemos que o amor entre duas pessoas não dura para sempre, mas por acabar, não quer dizer que não tenha valido a pena.

Confesso que adoro marcar com post-it diferentes sentimentos que o livro me trás, tristeza, riso e outras coisas como quotes que tenha gostado e partes românticas, e este livro tem tudo isso. Conseguiu unir tudo de uma forma espetacular e na dose certa.

Recomendo muito este livro para quem gosta de um YA contemporâneo, sobre o primeiro amor, mas procura uma leitura diferente daquilo que já leu. Este livro encher-lhe-á as medidas e proporcionar-lhe-á várias reflexões e frases que ficaram para a vida.

Uma leitura realizada com o apoio:



Beijinhos e boas leituras!

Lia


sexta-feira, 30 de junho de 2017

O azul é uma cor quente de Julie Maroh

Classificação: ⭐⭐⭐⭐

“O azul é uma cor quente” foi o primeiro livro (e único, até agora) que li com um tema LGBT como foco, mais especificamente, sobre o amor entre duas pessoas do sexo feminino. Já há muito tempo que queria ler algum livro assim, mas estava meio perdida e sem saber por qual livro começar.

Quando vi este livro na Feira do Livro de Lisboa deste ano, fiquei encantada com as ilustrações (Mas não fui a única! A Inês do instagram @books4everyone também ficou!), depois percebi que se tratava de um livro LGBT e percebi que seria ótimo para uma primeira leitura sobre este tema, uma vez que seria uma história rápida, por ser em estilo de banda desenhada. Além disso, no dia 28 de junho foi o dia internacional do orgulho LGBT, então acho esta leitura não podia ter vindo em melhor altura!

O livro conta a história de uma adolescente, a Clémentine, de 15 anos, que ao passar por uma rua, se cruza com duas raparigas, uma delas acaba por lhe sorrir e de alguma forma, que Clémentine não sabe explicar, algo muda nela, com aquele sorriso enigmático de uma desconhecida.

Nada na vida da Clémentine continua como estava, as relações com os pais pioram, alguns amigos poderão afastar-se, as dúvidas sobre a sua orientação sexual ficam abaladas e numa idade em que conta tanto aquilo que pensam de nós, quais serão as atitudes que a Clémentine irá tomar daqui para a frente?

A narrativa começa depois de um determinado acontecimento na vida da Clémentine (que eu não vou revelar aqui, pois pode ser spoiler, apesar de nos ser dado a conhecer logo nas primeiras páginas), depois voltamos atrás no tempo e vemos como foi a vida dela, a partir dos seus 15 anos até ao acontecimento. O facto de a narrativa ser contruída assim, pode acabar por tirar um pouco da carga emotiva que o final teria, se desconhecêssemos o acontecimento, porém no meu caso, acabei por me emocionar na mesma, quando cheguei às páginas finais.

Tratando-se de um livro de banda desenhada e sendo eu uma estudante de artes visuais, não poderia deixar de referir que a qualidade do grafismo, do traço e a expressividade dos desenhos são realmente maravilhosos. Por vezes, não necessitamos de balões de fala, porque as imagens já falam por si. A paleta de cores é reduzida durante quase todo o livro, mas tem sempre um ou outro apontamento a azul, o que na minha opinião, resulta muito bem neste livro.

Porém, nem tudo são pontos positivos e existem duas coisas que não gostei: uma delas é o facto da tira com a propaganda do filme baseado no livro não ser de papel e retirável e ser realmente parte da capa, o que acabou prejudicando a ilustração desta. A outra coisa que não gostei foi que um dos dois tipos de letra escolhido para interior não fosse de fácil leitura e, entre determinadas letras, suscitou-me algumas dúvidas.

Gostei bastante desta leitura, foi rápida, fluida e comovente em algumas partes. Espero que mais gente conheça este livro, pois ele é uma leitura que nos ajuda a entender um pouco as dúvidas e tudo o que uma pessoa homossexual passa, em busca de um rumo para a sua vida.

Apesar de se tratar de uma banda desenhada, e de ser de fácil leitura, não recomendo para crianças, pois contém algumas partes mais adultas no interior.

Espero que tenham gostado da minha opinião e se lerem o livro digam-me o que acharam!

Beijinhos e boas leituras!

Lia
 

sexta-feira, 23 de junho de 2017

Tag: Ice Cream Book Tag

O verão já começou aqui em Portugal e as férias também! (apesar de, muito provavelmente, repetir algum exame, mas oficialmente estou de férias!) Por isso, decidi trazer-vos uma tag bem fresquinha, respondendo à Ice Cream Book Tag que a Rita do @housefullofbookss (que também tem blog: https://housefullofbooks.blogspot.pt/), me marcou lá no instagram. (Ela também respondeu a esta tag no seu blog, se quiserem conferir as respostas dela, o link do post é o seguinte: https://housefullofbooks.blogspot.pt/2017/06/tag-icecreambooktag.html). Obrigada pela tag, Rita!

Sem mais demoras, vamos à tag!

1.       Melão – O livro que vais ler este verão

 
Eu quero ler vários livros nas férias e aproveitar para colocar as leituras em dia. Um dos meus objetivos é ler algum livro LGBT e gostava imenso de começar pelo livro “Azul é uma cor quente” de Julie Maroh, que é um livro em banda desenhada com umas ilustrações maravilhosas e que vale muito a pena pelo menos folheá-lo. Quando o ler, farei um post com a minha opinião aqui no blog!


2.       Menta – Série favorita de todos os tempos

 
Confesso que cada vez mais, prefiro livros únicos em vez das séries, porque acabam sendo leituras mais rápidas. Além disso, quase sempre gosto menos das continuações do que do primeiro livro e, em alguns casos acho que são desnecessárias. Porém, quem me acompanha, sabe que a série “A Minha Vida é um Filme” da Paula Pimenta, é uma das que mais gosto, mesmo não tendo terminado de ler (o que acontece com quase todas as séries que já comecei a ler).

 
3.       Limão – Série pesada/demorada

 
Eu escolhi a série “Divergente” de Veronica Roth. Acho que mais alguém colocou este livro como resposta a este tópico, mas realmente acho que se adequa perfeitamente aqui. Apenas li “Divergente” e “Insurgente”, mas achei que foram livros que demoraram muito tempo a serem lidos, que tem muitas ações e reviravoltas, várias personagens e acaba por ser uma série um pouco cansativa.

 
4.       Tiramisu – Um livro que te alegra

 
O livro “Miúda Online” de Zoe Sugg é um livro super fofo, com um romance adolescente e que aborda também temas importantes e que é muito bom vê-los abordados em livros juvenis.

 
5.       Fiordilatte – Um clássico

 
“O Principezinho” de Antoine de Saint-Exupéry foi um livro que li entre a infância e adolescência, e que é uma leitura que todas as crianças (e também os adultos) deveriam fazer.
Além disso, é um livro tão famoso que pode até ser considerado um clássico, não concordam?

 
6.       Morango – Uma história de amor fofa

 
“Namorado de Aluguer” de Kasie West (uma autora completamente maravilhosa) é o tipo de livro mesmo cliché, mas mesmo assim tão lindo e fofo, que é impossível não gostar! Um livro rápido, de leitura fluida e perfeito para ler entre leituras mais densas e complicadas.

 
7.       Chocolate – A sequela da qual estás à espera

 
“O Pacto – O crime de ter nascido” de Gemma Malley é um livro fantástico sobre um universo distópico onde a cura para a imortalidade foi descoberta.
Aqui em Portugal publicaram o primeiro livro (“O Pacto – O crime de ter nascido”) e o segundo (“A Resistência – Ninguém pode decidir por ti”), porém, se não estou em erro, lá fora, saiu um terceiro volume que tem como título “The Legacy”, volume esse que eu gostava imenso que a editora Presença publicasse também.

 
8.       Café – Um livro que te manteve acordada durante a noite

 
Para ser sincera, nunca passei uma noite inteira a ler, mas quando li o livro “diz-lhe que não” de Helena Magalhães, acabei por ir dormir mais tarde num dia ou outro, para puder ler mais um pouco deste livro antes de adormecer.

 
Aqui está a tag! Espero que tenham gostado!

 
Vou marcar algumas pessoas maravilhosas (colocarei o nome e o perfil de instagram, uma vez quem nem todas tem blog) para responderem também:
- A Mia do “miasouza._”;
- A Inês do “books4everyone”;
- A Patrícia do “lovepeaceandwrite”;
- A Mariana do “banal.girl”;
- A Inês do “alifewithbooks_”;
- A Marta do “thebookmermaid_”;
- A Angie do “angiexreads”;
- A Day do “lendo1bomlivro”.

(respondam à tag no vosso blog, instagram, youtube, ou onde preferirem)

 
Quem não está marcado, sinta-se à vontade para responder à tag na mesma!


Beijinhos e boas leituras!

 
Lia
 

quarta-feira, 7 de junho de 2017

Book Haul da Feira do Livro em Lisboa 2017

Primeiro de tudo, quero dizer que eu perco completamente a cabeça quando vou a feiras de livros, e se for a Feira do Livro de Lisboa, nem se fala! Acabo sempre por comprar alguns livros que estavam na minha lista de desejados, mas também compro alguns que eu mal tinha ouvido falar deles, ou nem os conhecia, mas como estavam por um bom preço, não consegui resistir a comprá-los.

Este ano não foi exceção e apesar de ter sido igual neste aspeto, foi bem diferente em outros. Refiro-me à companhia fantástica que tive, de uma pessoa que adora livros tal como eu, a Inês (nos anos anteriores eu ia sempre à feira apenas com os meus pais e ambos não gostam de ler). A Inês também tem um perfil de instagram literário (https://www.instagram.com/books4everyone/), foi por lá que a conheci e acabamos por combinar andar pela feira juntas, até porque comprar livros na companhia de uma leitora, é sempre melhor, não é verdade?

Como fiz no book haul do ano passado, irei colocar a sinopse e os preços, tanto o normal, como aquele que eu paguei pelo livro, caso tenham interesse em comprar e consigam ir à feira do livro.
O post vai ser grande, por isso vou acabar por aqui a introdução! 

Os Contos de Beedle o Bardo
de J. K. Rowling
Pvp: 10,09€
Comprei por: 7,10€ 

Sinopse:
Em Harry Potter e os Talismãs da Morte, o sétimo e último livro da saga, Albus Dumbledore ofereceu a Hermione um livro de contos baseados na tradução das runas antigas e ajudaria Harry na sua derradeira missão - destruir os Horcruxes de Lord Voldemort. Assim, em Os Contos de Beedle, o Bardo, encontramos os cinco contos que compõe o livro e, apesar de O Conto dos Três Irmãos ser contado no último volume da saga, os restantes quatro são revelados pela primeira vez. Cinco histórias fantásticas que irão deliciar, divertir e arrepiar tanto Muggles como feiticeiros.
Escrito e ilustrado por J. K. Rowling, parte dos lucros da venda deste livro reverterão a favor do Children’s High Level Group, uma instituição de beneficência que luta pela defesa e promoção dos direitos das crianças, com o objectivo de dar uma vida melhor a crianças e jovens desfavorecidos.

 

Antes do Futuro
De Jay Asher e Carolyn Mackler
Pvp: 16,60€
Comprei por: 11,65€

Sinopse:
Estamos em 1996.
Quando Josh instala um CD-ROM que dá acesso a cem horas de internet gratuitas no computador de Emma, sua vizinha e melhor amiga, são ambos transportados para uma estranha página chamada Facebook onde veem versões de si mesmos quinze anos mais velhas.
As suas relações, amigos, filhos, carreiras, férias... todas essas informações estão na internet e alteram-se consoante as decisões que eles tomam no dia a dia. à medida que tomam consciência do que a vida lhes reserva no futuro, Josh e Emma são obrigados a confrontar-se com o que estão a fazer certo e errado no presente... e se em 1996 pudesses ver o teu futuro no Facebook... mudarias o presente?

 

Cartas de Amor de Grandes Mulheres
de Ursula Doyle
Pvp: 5€
Comprei por: 3,50€
 
Sinopse:
Na sequência da edição portuguesa de >Cartas de Amor de Grandes Homens, seguem-se as cartas amorosas de mulheres históricas, como a Imperatriz Josefina, Ana Bolena, Maria Brontë, Emily Dickinson ou Florbela Espanca.

 
O Beijo dos Elfos
de Aprilynne Pike
Pvp: 5€
Comprei por: 3,50€

Sinopse:
Laurel é uma jovem de quinze anos diferente – frágil, vegan e amante da natureza – que se muda com os pais para outra cidade.
Integrar-se na nova escola e fazer amigos são questões complicadas para uma rapariga tímida como ela, mas o atraente David ajuda-a a ambientar-se.
É então que conhece algo inexplicável que aterroriza Laurel: diante do espelho, vê surgir sobre os seus ombros umas formas longas branco-azuladas, de uma beleza quase indescritível, como pétalas a pairar no ar junto à sua cabeça – semelhantes a asas.
Para perceber o sucedido, a jovem regressa à sua cidade natal, onde conhecera Tamini, um magnetizante rapaz de olhar cor de esmeralda. Ele parece conhecê-la desde sempre e vai revelar-se uma verdade aterradora.
A partir desse momento, Laurel ver-se-á suspensa entre dois mundos e dividida entre dois rapazes igualmente fascinantes, que a atraem em direções opostas…


leite e mel
de Rupi Kaur
Pvp: 14,90€
Comprei por: 11,90€ 

Sinopse:
Leite e Mel é um conjunto de poesias sobre o amor, a perda, o abuso infantil e, finalmente, a cura. Transporta os leitores para momentos difíceis da vida, mas leva-os a descobrir neles a doçura e a fragilidade da vida, porque a doçura está em todo o lado, se estivermos abertos a recebê-la.
Leite e Mel é uma história de sobrevivência através da poesia. Para a autora, é o sangue, suor e lágrimas dos seus vinte e um anos.
Lançado originalmente pela própria autora na Amazon, o livro tornou-se tão famoso que não passou despercebido no mundo editorial e os seus direitos foram adquiridos.


 
Beijo Gelado – Vampire Academy - Volume 2
de Richelle Mead
Pvp: 5€
Comprei por: 3,50€

Sinopse:
Rose Hathaway não está a atravessar uma boa fase: o seu deslumbrante mentor Dimitri parece gostar de outra pessoa e em contrapartida o seu amigo Mason tem um fascínio enorme por ela. Para piorar a situação, Rose não consegue quebrar a ligação mental com a sua melhor amiga, Lissa, mesmo quando esta está com o namorado, Christian. Entretanto, perante a iminência de um ataque Strigoi, a Academia de São Vladimir decide tornar a viagem anual de esqui obrigatória a todos os alunos e juntar os guardiães, inclusive a lendária Janine Hathaway - a ausente mãe de Rose. Iludidos pela falsa segurança da paisagem cintilante e elegante do Idaho e na ânsia de vingar as vítimas dos últimos ataques dos Strigoi, três estudantes resolvem fugir para tentar encontrar e exterminar sozinhos um perigoso grupo de assassinos. Rose vê-se então obrigada a associar-se a Christian para os salvar, só que desta vez a jovem irá sujeitar-se a perigos que nunca imaginou ter de enfrentar.
 
 


Monstros Fantásticos e Onde Encontrá-los
de J. K. Rowling
Pvp: 18,90€
Comprei por:  15,15€
 
Sinopse: A ação do filme Monstros Fantásticos e Onde Encontrá-los começa no ano de 1926, no momento em que Newt Scamander, representado por Eddie Redmayne, premiado com um Óscar da Academia, conclui uma viagem à volta do mundo para encontrar e documentar um conjunto extraordinário de criaturas mágicas.
Tendo chegado a Nova Iorque para uma breve paragem, ele poderia ter partido de imediato sem qualquer incidente... não fosse um No-Maj (termo americano para Muggle) chamado Jacob, uma pasta mágica perdida e a fuga de alguns dos monstros fantásticos recolhidos por Newt, que causam grandes problemas quer no mundo da feitiçaria quer no mundo No-Maj.



A juventude
de Paolo Sorrentino
Pvp: 11,90€
Comprei por: 0€ (foi oferta, por ter comprado 15€ em livros na editora Presença)

Sinopse:
O muito aguardado novo filme de Paolo Sorrentino, autor de a grande beleza.
A amizade, o desejo, a arte, a aventura de dois amigos que desafiam a passagem do tempo.
Num hotel e spa de luxo nos Alpes suíços, os amigos octogenários Fred Ballinger e Mick Boyle refletem sobre as suas vidas preenchidas e bem-sucedidas como compusitor e realizados de cinema, acompanhados por um conjunto de outros hóspedes excêntricos e interessantes, que incluem um lendário futebolista sul-americano, um famoso ator californiano e uma Miss Universo reinante. Ballinger está simplesmente a desfrutar a reforma, mas Boyle encontra-se a trabalhar com cinco argumentistas no seu último filme, que espera vir a ser a sua obra-prima.
Só depois de se reconciliarem com as suas musas e as suas memórias, e de fazerem as pazes com a velhice, podem os dois amigos avançar, embora com consequências inesperadas para eles... e também para nós.


Halo
de Alexandra Adornetto
Pvp: 19,95€
Comprei por: 15,95€

Sinopse:
Três anjos - Gabriel, o guerreiro; Ivy, a curandeira; e Bethany, a mais jovem e humana de todos - são enviados para levar o Bem a um mundo que sucumbe ao poder das trevas.
Esforçam-se por escolher o brilho luminoso que os envolve, os poderes sobre-humanos que detêm e, representando o maior dos perigos, as asas, ao mesmo tempo que evitam qualquer tipo de relação com os humanos.
As Bethany conhece Xavier Woods e ambos se revelam incapazes de resistir à atração que sentem um pelo outro. Gabriel e Ivy tentam tudo para impedir aquela relação, mas o sentimento que une Xavier e Bethany é demasiado forte.
A missão dos anjos é urgente e as forças das trevas são ameaçadoras. Irá o amor lançar Bethany na perdição ou salvá-la?


Retrato - Segredos do Desenho e da Pintura
de Jack Buchan e Jonathan Baker
Pvp: ---
Comprei por: 5€



Sinopse: ---


O azul é uma cor quente
de Julie Maroh
Pvp: 19,95€
Comprei por: 15,95€

Sinopse:
O livro conta-nos a história de Clementine, uma adolescente de 15 anos que, um dia se cruza na rua com um par de raparigas. Uma delas tem o cabelo pintado de azul e sorri-lhe. A partir desse preciso momento, tudo muda na vida de Clementine: a sua relação com os amigos na escola, a sua relação com a família, as suas prioridades... e sobretudo a sua sexualidade. Esta novela gráfica, que se encontra editada em 15 línguas, incluindo o inglês, espanhol, alemão, italiano e holandês, e que pela sua sensibilidade se tornou um êxito mundial, não deixa ninguém indiferente.


Grande Manual da Fotografia
de Michael Freeman
Pvp: 36,49€
Comprei por: 12€

Sinopse:
Uma verdadeira enciclopédia da fotografia num só volume.
Michael Freeman - renomado fotógrafo profissional - explica, analisa e desmistifica os principais aspetos relacionados ao tema. Descreve os equipamentos, fornece um guia sobre as técnicas básicas e analisa, de A a Z, os temas fotográficos. A obra apresenta também uma série de orientações para se chegar a um estilo fotográfico, inspirado nas obras de mestres famosos. Mais de 500 fotografias coloridas.

 
Um dos livros que comprei não encontrei qualquer informação dele na internet, por esse motivo, não coloquei muito sobre ele.


O post ficou grande, tal como tinha referido antes, mas sempre ficam conhecendo alguns livros que não conheciam e/ou informados sobre preço que paguei neles, lá na Feira do Livro de Lisboa. Caso tenham interesse de lá ir, a feira termina no dia 18 de junho, por isso ainda tem algum tempo para passarem por lá se quiserem.

 
Se tiverem interesse em ver algum destes livros resenhados aqui no euliaeleio, digam-me nos comentários, que tentarei lê-lo assim que possível para o resenhar no blog!


Beijinhos e boas leituras!

 
Lia
 

quarta-feira, 31 de maio de 2017

Meu Coração e Outros Buracos Negros de Jasmine Warga

Classificação: ⭐⭐⭐⭐⭐

Meu Coração e Outros Buracos Negros é um livro (maravilhoso) que aborda o tema do suicídio e o tema da depressão, maioritariamente.

O livro conta a história de uma adolescente de 16 anos, a Aysel, que vive com a mãe, o padrasto e os seus dois meios-irmãos mais novos. Ela estuda e tem um trabalho a meio tempo numa empresa de telemarketing. Sofre com depressão e pondera a ideia de vir a cometer o suicídio. Enquanto trabalha, costuma aceder a um site chamado “Passagens Tranquilas”, onde pretende encontrar um parceiro de suicídio.

Roman é um rapaz de 17 anos e que à partida não tem nada de comum com Aysel Tem uma família que o adora e tem vários amigos à sua volta, mas tal como Aysel, também sofre com depressão e também frequenta o site “Passagens Tranquilas”, em busca de um parceiro para atingir o seu objetivo: o suicídio.

Aysel e Roman conhecem-se neste site e planeiam cada pormenor do seu próprio suicídio juntos, escolhendo a data de 7 de abril para o concretizar. Começa então uma contagem regressiva para o dia em que todo o sofrimento de ambos irá terminar.

Apesar de já ter lido alguns livros com a temática do suicídio que são fantásticos, este pareceu-me espetacular, porque a toda a hora, sentimos como a depressão afeta realmente as pessoas e como a “lesma preta” que existe dentro delas as ataca e as corrói por dentro, matando cada emoção positiva que pudesse existir e isso é algo que, na minha perspetiva, a autora soube trabalhar muito bem.

Para além desta forma maravilhosa que a autora escolheu para abordar o tema do suicídio, quase tudo me parece realista e autêntico, pudendo, talvez, o final ter-se desenvolvido um pouco rápido de mais do que deveria (não irei alargar-me nesta minha opinião sobre o final, para evitar dar spoilers).

A narrativa é muito fluida, prende o leitor à história e a autora consegue dar muitos (usando uma expressão do Português do Brasil) “tapas na cara” do leitor.

A quem procura um romance fofinho, pode esquecer este livro, porque este não é o tipo de livro em que ambos sofrem, conhecem-se e, num piscar de olhos, tudo fica maravilhosamente bem. Este livro não romantiza o suicídio, até porque na realidade, sabemos que não basta que a pessoa entre na nossa vida e todos os problemas desapareçam. Falando mais concretamente neste livro, não basta que a Aysel e Roman se conheçam para que o motivo pelo qual eles pretendem morrer desapareça de um momento para o outro. E este é sem dúvida um dos pontos mais positivos do livro.

Por fim, esta história deixa-nos uma mensagem de esperança: A quem está a passar pelo mesmo, mostra que não estão sozinhos; A quem assiste a alguém que possa, eventualmente, estar a passar pelo que a Aysel ou o Roman passam, ensina que devemos estender a mão e oferecer ajuda, em vez de ficarmos calados, só por não sabermos como abordar a situação, ou simplesmente desvalorizar esta doença, até porque a depressão é algo da qual é difícil sair sem ajuda de alguém.

Meu Coração e Outros Buracos Negros foi um livro que me levou à reflexão e me fez compreender ainda melhor este tema, cada vez mais abordado na literatura: o suicídio e as causas que nos levam a cometê-lo.

Espero que tenham gostado e que, se tal com eu adoram ler livros com esta temática, deem uma oportunidade a esta leitura, porque estou certa de que não irão arrepender-se.

Beijinhos e boas leituras!

Lia

domingo, 21 de maio de 2017

diz-lhe que não de Helena Magalhães

Classificação: ⭐⭐⭐⭐⭐
 
Sabem aquela altura em que leem um livro tão bom, mas tão bom que quando vão para escrever a crítica para o blog, não fazem ideia por onde começar? Pois bem, estou exatamente nessa situação.
 
Desde o primeiro dia em que vi o livro “diz-lhe que não” na lista de pré-lançamentos da wook (sim, costumo frequentar bastante esta secção), que me despertou a atenção e me fez clicar no ícone da capa para ler a sinopse. Talvez me tenha chamado à atenção pelo facto de a capa ser da minha cor preferida, ou pelo tipo de letra que escolheram para o título ser fantástico, porém não foi só a capa que me fez comprar o livro, mas também a sinopse dele.
 
Não tenho o hábito de colocar as sinopses nas resenhas, mas não há regra sem exceção, e acho mesmo que esta sinopse vale mesmo a pena ler:

[ SINOPSE

«Conheço muitas mulheres que escolhem ficar em relações de merda porque é muito mais fácil viver assim do que enfrentar o mundo sozinhas. Do que terem de continuar a procurar. Talvez essas relações só sejam de merda aos meus olhos. Talvez, para elas, sejam exactamente aquilo que procuram. Mas eu não nasci para isso. Nasci para amar (e ser amada) profundamente. Vou continuar a procurar, mesmo que continue a cair de cabeça no chão. Vou sempre dizer sim ao amor. Às borboletas no estômago. Às pernas a tremer. Quero viver todas as sensações que o amor me puder oferecer.
E nunca, nunca, nunca me vou contentar com menos do que isso. Neste livro cada Capítulo corresponde a uma história. Poderia dizer-vos que são ficcionais, mas não são. Se são 100% reais? Também não. Porque, por vezes, fantasiar um pouquinho aquilo que vivemos torna-nos mais felizes.»

Helena acredita no amor, apesar das relações fast-food que muitas vezes sente na pele.
Enquanto homens como o Sem Cojones, o Flash, o Velho, o Poeta ou o Telecomunicações vão passando pela sua vida sem deixar nada para contar a não ser histórias caricatas e, por vezes, inverosímeis, Helena continua à procura sem se deixar cair na tentação de se acomodar. Ao seu lado as suas amigas Beatriz, Olívia e Laura também vivem relações marcadas pela traição ou pelo abandono, mas sempre com a ideia de que um dia o «Mr. Right» vai aparecer. A jornalista Helena Magalhães, num registo irónico e actual, apresenta-nos um livro que nos faz reflectir sobre as relações amorosas nos dias de hoje em que as redes sociais marcam o ritmo e as juras de amor são feitas por Whatsapp, os «amo-te» vêm em forma de fotografia pelo Instagram ou que os ex-namorados e as ex-namoradas dos ex-namorados convivem alegremente no Facebook, assistindo à nossa vida como se de uma novela se tratasse.
Porque o amor é mais do que isto e há que dizer «não» até que a vida nos dê a entender que chegou o momento de dizer «sim». Um «sim» apaixonado, confiante e absoluto. ]
Ficaram curiosos para ler o livro, agora que já leram a sinopse? Na altura, eu fiquei e não foi pouco. Confesso que uma das coisas que me fez querer ler o livro foi a perspetiva que conhecemos da autora (ao ler a sinopse), em relação ao amor. A perspetiva dela, choca de frente com a minha, pelo menos aquela que eu tinha antes de ler o livro, porque esta leitura acabou mudando a forma como eu vejo o amor e encaro as relações românticas.
Um livro escrito pela dona do blog The Styland (http://www.thestyland.com/), que também é jornalista e defensora de que o amor não é isto que conhecemos, mas sim “outra coisa”. Helena Magalhães acaba por ser uma grande influência para muitas mulheres do século XXI.
 
Acho que já deu para perceber que não estamos perante um romance “sessão de sábado à tarde”, mas sim perante um livro de “empowerment emocional, uma história de e sobre amor”, classificado pelas livrarias como um livro de crónicas.
 
Ao longo do livro, a Helena, juntamente com as suas amigas, vão passando e vivenciando várias experiências românticas, umas correm melhor do que as outras, mas todas elas trazem consigo algum ensinamento. Percebi que aquilo que eu já passei não aconteceu só comigo, que não fui a única a agir ou a me sentir de tal maneira, aprendi a ver o amor e as relações de uma maneira diferente e aprendi tanto, mas tanto com este livro, que irei guardá-lo sempre com muito amor e carinho e irei reler vezes sem conta, cada um dos ensinamentos que eu marquei com post-it. Além disso, estou a passar por uma fase menos boa, no que diz respeito ao amor e tenho a certeza que, de certa forma, este livro ajudou-me bastante a superar as coisas (que ainda não foram superadas, mas que um dia serão), a pegar nos cacos do meu coração partido, tentar colá-los e seguir em frente.
 
As metáforas que a escritora utiliza, são brilhantes, e funcionam perfeitamente para passar a mensagem desejada. Aliás, funcionam melhor do que provavelmente funcionaria se dissesse diretamente aquilo que quer dizer.
 
A forma como os homens aparecem no livro, quase sempre sem um nome próprio, como é o caso do Sem Cojones, o Flash, o Velho, o Poeta, o Telecomunicações, entre outros, dá a sensação de que eles não representam apenas uma pessoa, em vez disso representam várias pessoas que são assim, que tem os mesmos defeitos que eles tem. E acho que isto foi intencional, porque ao dar um nome ao personagem, estamos a individualizá-lo e calculo que não seja essa a intenção da autora.
 
E para juntar a todos estes pontos positivos, este livro é dotado de uma narrativa que é capaz de prender o leitor desde a primeira página. Tem uma linguagem clara, corrente e com alguns palavrões pelo meio (mas aviso já que são poucos e ditos no momento certo, creio que como que uma forma de desabafo) e que flui muito bem. No final fica aquele gostinho de “quero mais!”, mas que nos deixa de coração cheio.
 
Este livro não podia ter vindo em melhor altura e só tenho a agradecer a esta pessoa maravilhosa, a Helena Magalhães por o ter escrito e por me ter ensinado que o amor é outra coisa.
 

Beijinhos e boas leituras!


Lia
 

sexta-feira, 12 de maio de 2017

Tag: Perguntas Literárias

Trago-vos uma tag que encontrei no blog “Beco Literário” (se quiserem ver as respostas desse blog à tag, aqui está o link: http://becoliterario.com/tag-perguntas-literarias/), pelo que vi, os créditos são do blog “Como Respirar”, mas não encontrei o link. A tag consiste em responder a nove perguntas sobre este universo literário.
 
 
1.       Qual é a capa mais bonita da sua estante?
 
Tenho vários livros com capas que adoro, por isso, é um bocado dificl escolher o que tem a capa mais bonita. Então escolhi o livro “Puros” de Julianna Baggott, a título de exemplo.
 
2.       Se pudesse trazer um personagem da ficção para a realidade, qual seria?
 
Se eu pudesse, traria o Maxon de “A Seleção” de Kiera Cass ou qualquer um dos meus cruchs literários.
 
3.       Se pudesse entrevistar um autor (a), qual seria?
 
Gostaria imenso de entrevistar a escritora (e jornalista) Helena Magalhães (autora do livro “diz-lhe que não”, mas não seria uma tarefa fácil, uma vez que ela está por dentro no que toca a fazer entrevistas.
 
4.       Um livro que você não leria de novo? Por quê?
 
Com certeza eu não leria de novo o livro “Os Maias” de Eça de Queiróz, uma vez que, foi uma leitura que fiz por obrigação para a aula de Português. E aqui entre nós, ninguém gosta de ser práticamente obrigado a ler um livro de 750 páginas, não é? (Se alguém tiver curiosidade em ver o post em que falei deste livro, é só clicar no link: http://euliaeleio.blogspot.pt/2016/04/os-maias-de-eca-de-queiroz.html)
 
5.       Um casal?
 
Um casal que adoro e que é super fofo são a Eleanor e o Park do livro da Rainbow Rowell com o mesmo nome dos personagens. (Já fiz resenha dele aqui no blog, se alguém quiser ver: http://euliaeleio.blogspot.pt/2016/11/eleanor-park-de-rainbow-rowell.html)
 
6.       Dois vilões?
 
O Voldemort e a Dolores Umbridge são dois dos que me vêm logo à cabeça quando penso em vilões. Por vezes, até fico sem saber qual destes dois é o pior! (Até agora ainda não consegui terminar de ler Harry Potter, mas já fiz resenha dos cinco primeiros livros e se quiserem saber o que achei deles, aqui está o link http://euliaeleio.blogspot.pt/search/label/J.%20K.%20Rowling)
 
7.       Um personagem que você mataria?
 
Acho que mataria qualquer um dos dois personagens da resposta anterior, mas acho que seria ligeiramente mais fácil matar a Umbridge do que o Voldemort, por isso, escolheria-a a ela.
 
8.       Se pudesse viver em um livro, qual seria?
 
Eu nunca iria para um livro de terror, mas também é um género que eu não leio nem conheço muito. Acho que escolheria o livro “A Minha Vida é um Filme – A Estreia” da autora Paula Pimenta, porque adorava conhecer a Fani e todos os seus amigos e porque a história passa-se em Belo Horizonnte, no Brasil (um país que eu adoraria visitar um dia!)
 
9.       Qual o maior e o menor livro da sua estante?
 
Estive a contar as páginas dos meus livros maiores e o que tem mais é o livro “Crepúsculo – Edição Especial do 10º Aniversário – Vida e Morte, Crepúsculo Reimaginado” da autora Stephenie Meyer. Já o livro mais pequeno que tenho é “O Quidditch através dos tempos” da autora J. K. Rowling.
 
Esta foi a tag, espero que tenham gostado e quem quiser fazer, esteja à vontade! Se fizer, deixe o link do seu blog nos comentários que eu vou ter todo o gosto em ir lá ver!

Beijinhos e boas leituras!

Lia ❤